Isto é o antigo site do Vale Verde do ano 1999, o site atual é : http://www.valeverde.org.br/sys/

A Entidade
A Vale Verde é uma entidade civil sem fins lucrativos, de caráter técnico-científico, educacional e cultural, localizada no município de São José dos Campos, com sede a Av. Eng. Francisco José Longo, 149 - sl 108 - 10º andar -Vila Adyanna - 12245-900.
Foi criada em 1988 e reconhecida como de utilidade pública pela lei municipal nº 4278/92.
Tem como objetivos promover ações que visem a melhoria da qualidade de vida: realização de projetos relacionados à conservação ambiental, a divulgação do patrimônio artístico e cultural do Vale do Paraíba. Através destas ações, conscientizar a sociedade sobre a importânica de tais questões, buscando um maior envolvimento e comprometimento desta com a realidade valeparaibana.

Atualmente, a Vale Verde desenvolve um Programa de Educação Ambiental Atualmente está desenvolvendo convênios e trabalhos com a Prefeitura de São José dos Campos e de Jacareí, com a UNIVAP (Universidade do Vale do Paraíba), com a Fundação Cultural de São José dos Campos, com Organizações Não Governamentais (ONGs), com escolas da região, para a consolidação do projeto de Educação Ambiental "PARAÍBA VIVO - Mergulhe Nessa Idéia" em convênio com o FNMA/MMA (Fundo Nacional do Meio Ambiente/Ministério do Meio Ambiente dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal). Essas atividades tem o intuito de conscientizar a nossa sociedade da importância de preservar a qualidade de vida do Vale do Rio Paraíba do Sul .
PESQUISAS E INFORMAÇÕES
O nosso centro de pesquisas e informações, está sendo criado para que juntos possamos conhecer e aprender um pouco mais sobre alguns pontos específicos de nossa região como por exemplo:

A BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PARAÍBA DO SUL

A Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, localiza-se na Região Sudeste do território brasileiro totalizando uma área de aproximadamente 57.000 km2. Em seus limites, atravessa três estados brasileiros: 24% correspondem à sub-bacia paulista, estendendo-se desde a região metropolitana de São Paulo até a divisa com o Rio de Janeiro; 39% compõem o sudeste mineiro e os 37% restantes constituem a maior parte do território fluminense.

As paisagens que conformam a Bacia do Rio Paraíba do Sul são is espigões e altiplanos das Serras do Mar e da Mantiqueira, cujas cumineiras atingem 1000m e 1750m respectivamente.
A Mantiqueira acomoda os dois divisores mais importantes do Rio Paraíba. O setor setentrional divide a Bacia do Rio Paraíba com a Bacia do Rio Doce. A Serra do Mar separa o rio de todos os tributários que drenam para o Atlântico.
O Rio Paraíba do Sul recebe o seu nome no município de Paraibuna, onde ocorre a confluência dos rios Paraitinga e Paraibuna. Percorre desde sua nascente em Areias até a sua fóz na Praia de Atalona (imprópria para banho), litoral fluminense.
UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS
O Rio Paraíba do Sul é o receptor natural de toda a descarga de efluentes domésticos e industriais da região valeparaibana, uma vez que a maioria das cidades da região não apresenta nenhum tipo de tratamento sanitário (apenas 10 municípios da região contam com tratamento parcial de esgotos) e não apresenta fiscalização eficiente dos resíduos líquidos e industriais. No entanto, muitas das captações de água superficial ocorrem no próprio rio e outras, em manaciais pertencentes à Bacia.
Há também a captação de águas subterrâneas, realizada através da confecção de poços profundos e a atividade impactante da mineração de areia.
Todo esse montante hídrico é utilizado para o abastecimento das indústrias e municípios.
As águas da Bacia Hidrográfica também são utilizadas para a pesca de subsistência, hoje muito prejudicada pela qualidade das águas, e para a criação intensiva, como pisciculturas e os criadouros do tipo "pesque e pague".
Além do abastecimento de água, esgoto sanitário e industrial, mineraçãode areia e pesca, os recursos hídricos são utilizados para o lazer e para a irrigação de culturas localizadas na várzia do Paraíba e ao longo de seus afluentes.

 

NASCENTE E FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL
Nascente, é a vertente de contribuição mais distante da foz de um rio. A nascente do Rio Paraíba do Sul, está situada em Areias, na Serra da Bocaina, no Ribeirão do Salto, São João da Barra.
A nascente do Rio Paraíba coincide com a nascente do Rio Paraitinga, portanto, o Rio Paraíba nada mais é do que o Rio Paraitinga com outro nome, ou seja, o Rio Paraíba recebe este nome na confluência entre o Rio Paraitinga e o Rio Paraibuna, na Represa de Paraibuna.
O Rio Paraíba percorre 57.000km2, antes de chegar em sua foz, na praia de Atafona, no litoral fluminense, praia esta que está considerada imprópria para banho.

BOLETIM
INFORMATIVO DA VALE VERDE ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE
Setembro/97 - 6ª Edição
POLUIÇÃO DAS ÁGUAS
Fala-se em poluição das águas, poluição do ar, poluição da miséria. A palavra "poluição" adquiriu, um sentido diabólico, significando tudo que é mau, deturpado.
O termo poluição provém do verbo latino polluere, que significa "sujar". Sujar, porém, tem um sentido muito mais ligado à aparência, à estética. Água suja não é necessariamente, aquela que possui substâncias tóxicas ou que cause doenças.
A aplicação desse termo especificamente à água, demonstra a preocupação estética que o homem sempre teve em relação à água que bebe: ela deve ser cristalina, transparente.
Que teria levado o homem, a condenar a água bebida pelo seu simples aspecto e a utilizar o termo poluição (sujeira) para a perda da sua qualidade sanitária? Talvez uma simples coincidência. As águas dos rios tornam-se turvas quando recebem águas de chuvas que escoam pelas superfícies da terra, arrastando suas partículas argilosas.
Em outras épocas e lugares, quando as matérias fecais não eram afastadas por sistemas de esgotos, estas eram lançadas ao solo, juntamente com outros produtos da atividade doméstica. Do solo eram levadas para os rios pelas enxurradas que com as matérias fecais, arrastavam seus eventuais patogênicos, isto fez com que o homem associasse a turbidez e o mau aspecto do rio com a sua pestilência: era a água suja que transmitia doenças. Então surgiu pelos egípcios a idéia de armazenar a água do Nilo em potes de barro, durante 01 (um) ano antes de consumí-la. Durante este tempo as partículas em suspensão sedimentavam e a água tornava cristalina.
Samuel Murgel Branco - "Água-Origem, Uso e Preservação"
REDESCOBRINDO O BRASIL
A GUERRA DA ÁGUA
O mineral mais valioso do Terceiro Milênio da Era Cristã não será o ouro ou o petróleo, nem provavelmente qualquer metal raro, mas a água. Água potável. O crescimento demográfico, aliado a um aumento sem precedentes da capacidade tecnológica do homem de alterar o meio ambiente estão comprometendo seriamente a disponibilidade de recursos hídricos para necessidades básicas como o suprimento das cidades, o consumo humano, animal e a irrigação. Nesse prisma o Brasil ocupa um lugar único e estratégico no contexto mundial.
Uma cidade de 10.000 habitantes na Idade Média tinha sua economia limitada a um universo local e regional, em geral em harmonia com os ciclos naturais. Hoje uma cidade brasileira de 10.000 habitantes mobiliza recursos planetários. A capacidade de deslocamento dos indivíduos, os circuitos comerciais e todo o aparato tecnológico fazem com que um habitante desse município seja capaz de mobilizar e comprometer recursos naturais, não só na sua região, mas em várias regiões do país e do exterior.
Os poluentes lançados nos rios, nas redes de água pluvial, nos esgotos e nos lençóis freáticos têm características novas. Além da tradicional poluição orgânica do esgoto doméstico (6 milhões de toneladas por dia em toda a terra), hoje as águas servidas carregam poluentes de origem industrial contra os quais os sistemas de tratamento de águas são impotentes. Os próprios derivados de petróleo como a gasolina, o diesel, os agrotóxicos, bem como os produtos de sua decomposição parcial no meio ambiente, atravessam praticamente intactos o sistema de tratamento de água das melhores cidades brasileiras. A contaminação dos recursos hídricos vai tomando um caráter irreversível. Preocupa toda a humanidade e foi abordado com atenção durante a ECO-92. A atual globalização da economia só faz acentuar essa tendência e não existe nenhum sinal de reversibilidade nesse quadro. O Banco Mundial estima que 800 bilhões de dólares deverão ser investidos nos países em desenvolvimento até 2005 para evitar um colapso no abastecimento de água potável!
Qual a disponibilidade de água doce no planeta? A Europa dispõe de 4% da água dos rios. A Ásia e a América do Norte reúnem 27% e 12% respectivamente. A América do Sul concentra 47% da água doce existente nos rios do planeta. Em termos de distribuição per capita, a média mundial é de 425 m3/habitante. A América do Sul situa-se 713% sobre essa média. A bacia Amazônica e a do Prata representam o essencial da disponibilidade hídrica do continente sul-americano e são as duas maiores bacias do mundo. Nesse sentido o Brasil detém cerca de 30% da disponibilidade de água doce da terra! Segundo a revista "Newsweek", no decorrer do século XXI, o Brasil será ;uma espécie de fiel da balança da Água Doce, assim como a Arábia Saudita é hoje do petróleo.
Faltará água doce no século XXI. Houve tempo em que alguns afirmaram o petróleo é nosso! Chegou o momento dos estrategistas e de todos os habitantes - ao pensarem no futuro e na magnificência do Brasil - de redescobrir o exemplo dado pela monarquia no passado como trilha de futuro. Ao redescobrirmos o Brasil constatamos que a água é nossa!, como legado do passado e bandeira de desafio para o futuro.
(Artigo fornecido por Sr. Tomazzato)
CONTAMINAÇÃO DAS ÁGUAS
É a ação ou efeito de corromper ou infectar por contato. É o termo usado, muitas vezes, como sinônimo de poluição, porém quase sempre empregado em relação direta a efeitos sobre a saúde do homem.
"Significa a existênica de microorganismos patogênicos em um meio qualquer".
"Introdução, no meio, de elementos em concentrações nocivas à saúde humana, tais como organismos patogênicos, substâncias tóxicas ou radioativas".
Os mesmos esgotos de origem doméstica que, provocam demanda de oxigênio, contêm, os serem patogênicos de origem intestinal. Eles são transportados pelas águas: levados dos organismos doentes aos organismos sadios que bebem a água contaminada ou água "não potável".
A contaminação das águas compreende, ainda, a introdução de substâncias tóxicas. Neste caso não há a mesma coincidência entre o lançamento de esgotos, com sua carga orgânica e a presença dos tóxicos. Estes últimos são provenientes, de resíduos de certos tipos de indústrias, como as químicas, que nem sempre lançam compostos orgânicos. Além das indústrias, outra fonte importante de tóxicos é constituída por águas de drenagem agrícolas, tratadas com inseticidas, herbicidas, fungicidas e outros compostos.
Vemos que a auto depuração, embora purifique a água do ponto de vista das matérias orgânicas biodegradáveis, nem sempre é eficiente quando se trata de compostos tóxicos
Vocabulário Básico de Meio Ambiente
e Como Defender a Ecologia

VOCÊ SABIA???
Um rio poluído pode ser recuperado?
Sim, desde que as condições ambientais sejam modificadas. Para começar eles têm a capacidade de absorver naturalmente os resíduos orgânicos, num processo chamado auto depuração. Mas os microorganismos aeríbios, que atuam nessa tarefa, consomem oxigênio ao decompor e material orgânico. É esse processo que permite a um rio, que está em péssimo estado num certo trecho, apresentar-se limpo e agradável alguns quilômetros à frente.
De qualquer forma, um rio depende basicamente de ser limpo, desassoreado e deixar de receber novos poluentes, para poder recuperar-se.
Como Defender a Ecologia
DICAS
O que você pode fazer:

Como Defender a Ecologia